sábado, 14 de novembro de 2015

SOU ASSIM


Sou como um ciclone.

Sou a mansa 

maré de ressaca.

Lentos passos

e corrida em disparada.

Pra atravessar a fita

da chegada, em primeiro.

Ou no ultimo lugar.

Cortar o laço da vitória.

Ou chorar a dor

de não ganhar.

Sorriso na arquibancada.

Lágrimas que formam rios.

Perfume de rosas vermelhas.

Garoa, nevoeiro, chuvisco.

Relâmpago, clarão, trovoada.

Lua cheia, iluminada!

Inacelita Damasceno

Publicado por Inacelita Damasceno em 14/11/2015
Código do texto: T5448505
Recanto das Letras

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias