quarta-feira, 3 de julho de 2013

NOITE FRIA


  Noite enevoada
  Que faz ninho em meu colo
  Me enrosco no vazio
  Eriçando desalinhadas memórias
  Corro em busca
  Do afago abrasador
  E a travessia
  Não tem fim

Inacelita Damasceno

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias