sábado, 21 de abril de 2012

CANTAR












Eu canto meu canto desafinado.
Canto alegre, sorrindo.
Canto triste.
Canto de passarinho fraquinho.
Canto de pássaro possante.

Cantando na aragem do tempo.
Vou seguindo meu canto alado.
Vou cantarolar.
Vou soltar o pássaro,
Que dentro de mim existe.















Deixá-lo executar todas as notas musicais.
Revelar seu segredo de cantar.







Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias