sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

ÊXTASE

Mar aberto em meu peito.
Espumando meu corpo,
No galopar das ondas.
Furor, queimando.
Abrasador do meu sentir.
Nesse mar aberto de ondas mansas.
Que vai e vem,
Confundindo o sabor do sal,
Com a água doce do prazer.
Mergulho fundo e desfaleço,
No líquido suculento do amor!!!

Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias