quarta-feira, 9 de novembro de 2011

LIBERDADE



Minha doce magia,
Deixa eu rimar pra ti.
Deixa eu cantar no teu salão.
Quero sair desse ócio.
Girar os dados do destino.
Para contradizer essa solidão.
Que cai sobre mim.
Como uma roupagem sagrada.
Um chão com limites.
Quero me libertar!!!


Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias