terça-feira, 28 de junho de 2011

SEGURO

Há,
se um dia eu
ficar estranha.
Pode saber,
que é por pouco.
Loguinho,
estarei em minha
órbita natural.
Meu habitat sideral.
Jamais deixarei
esse espaço.
Meu porto confuso,
mas seguro...



Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias