terça-feira, 6 de julho de 2010

MÃE




Divindade de luz.
Claridade de um astro.
Brilho nascente.
Colo inocente.
Dá luz da vida.
Seres do ventre.
Frutos do amor.
...Filhos...
Que avançam através do tempo.
Sempre a sua sombra.
Sempre buscando...
Proteção...
Aconchego...
Crescidos, já feitos, voam
sua liberdade.
Mas sempre voltam.
Pode ser na lembrança.
Mesmo distantes.
Ali estão.
Sempre estarão...


Inacelita 09/05/2010

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias