quinta-feira, 24 de novembro de 2011

DELÍRIOS




Vou desnudar meu camarote.
Refazer minha folia.
Pular de alegria.
Nesse palco giratório.
E ao descobrir meu par.
Serei dançarina da corte.
Do rei bobo sem coroa.
Serei a rainha das bruxas.
Das noites de lua cheia.
Pelas ruas de Lisboa.
Lisboa?
_Todos nós temos um pouco,
De insensatez da louca da corte!!!

Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias