segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CHAMA












































Teu silêncio.

Incendeia minha alma.

Que grita por socorro.

Vem, brisa mansa.

Apagar, a chama que queima.




Inacelita

0 comentários:

Postar um comentário

Outras poesias